Na Natureza Selvagem (Into the wild)

na_natureza_selvagem_Into_the_wild

                       Algumas vezes os filmes nos inspiram ou nos fazem pensar um pouco mais sobre a vida. Tem filmes que te marcam de alguma maneira, e normalmente você quer comentar, indicar e contar pra todos para que vejam o filme.

                      Para mim, “Na natureza selvagem” é um fim filme desse tipo. Desse tipo que marca, perturba, que te faz pensar o que você está fazendo se não viver de uma maneira diferente. O tipo de filme que deixa saudades e aquela vontade de assistir outra vez.
Qual o valor que nós damos para as coisas durante nosso dia a dia. E qual o valor para as relações entre os seres, entre as pessoas. O que normalmente consigo enxergar é um valor exagerado do que é “meu”, do que sou “eu” e do que eu “quero” para ser feliz. O que todos buscam em suas vidas é a felicidade plena. Mas estamos presos medrosos em um círculo, em bens materiais, baseados em uma sociedade cheia de hipocrisia te dizendo o que você precisa para ser feliz.

into-the-wild21

              No filme “Into the wild”, do livro de Jon Krakauer, um jovem recém-formado chamado Christopher McCandless resolve ir em busca de seus ideais do que seria a felicidade genuína, que vai além do materialismo que a sociedade impõe a todos sem percebermos. Assim que sai da faculdade ele doa todo seu dinheiro e abandona sua família sem deixar nenhum vestígio. Com um sentimento aventureiro, totalmente desapegado, viaja pelos Estados Unidos conhecendo pessoas de todos os tipos e arrumando empregos apenas para conseguir algum dinheiro para se alimentar e sobreviver. Cada história mostrada sobre suas relações com as pessoas que ele encontra no caminho, deixa uma mensagem muito interessante sobre como, com seu jeito de ser ,ajudou essas pessoas. E acredito que mostra como nós podemos viver presos em nós mesmos, andando em círculos até o final de nossas vidas.

images-1
A meta de Christopher era ir para o Alasca, e viver em meio a natureza.  Ele acreditava que não precisamos de dinheiro, e nem de relações humanas para sermos felizes. É como se fosse um estudo de si mesmo, um retiro, um lugar para entender o que realmente precisamos e buscamos. Mas o mais interessante, é que sua conclusão se dá em um momento único, e percebe que dinheiro, bens ou qualquer outra coisa não tem importância, mas que “a felicidade só é verdadeira quando compartilhada”.

A história de Christopher McCandless é real, e o mais interessante é que após o lançamento do filme existiram diversas pessoas que começaram a ser resgatadas pelas equipes de salvamento no Alaska no mesmo perímetro em que Christopher viveu. A atitude McCandless envolveu e inspirou muitos jovens a ir atrás de algo mais em suas vidas.

Não acho necessário ser radical como ele, mas precisamos pensar um pouco: “O que é que estamos fazendo todos os dias?” “Para que tudo isso?” Existem diversos caminhos a serem seguidos durante a vida até a chegada da morte, que é para onde todos nós estamos caminhando invitávelmente. E muitas vezes precisamos “voltar a viver”. Deixar de lado o vazio que existe no mundo em que vivemos.

Veja o trailer:

O filme é dirigido por Sean Penn, com fotografia e trilha sonora fantástica ao som de Eddie Vedder, te faz viajar por todos os lugares possíveis, inclusive dentro de sua própria mente.

Esse é um filme para viajar!

Aqui vai um vídeo com cenas do filme e a música Society de Eddie Vedder no fundo. 🙂

CURIOSIDADES

O filme não revela, mas Christopher teria deixado essa carta de despedida quando planejava deixar a casa de Ron sem avisá-lo.

‘Gostaria de repetir o conselho que lhe dei antes: você deveria promover uma mudança radical em seu estilo de vida e fazer corajosamente coisas em que talvez nunca tenha pensado, ou que fosse hesitante demais para tentar.
Tanta gente vive em circunstâncias infelizes e, contudo, não toma a iniciativa de mudar sua situação porque está condicionada a uma vida de segurança, conformismo e conservadorismo, tudo isso parece dar paz de espírito, mas na realidade nada é mais maléfico para o espírito do homem que um futuro seguro.
A coisa mais essencial do espírito vivo de um homem é sua paixão pela aventura. A alegria da vida vem de nossos encontros com novas experiências […]
Você está errado se acha que a alegria emana somente ou principalmente das relações humanas. Deus a distribuiu em toda a nossa volta. Está em tudo ou em qualquer coisa que possamos experimentar. Só temos de ter a coragem de dar as costas para nosso estilo de vida habitual e nos comprometer com um modo de vida não-convencional.
O que quero dizer é que você não precisa de mim ou de qualquer outra pessoa para pôr esse novo tipo de luz em sua vida. Ele está simplesmente esperando que você o pegue e tudo que tem a fazer é estender os braços. A única pessoa com quem você está lutando é com você mesmo […]
Espero que na próxima vez que eu o encontrar você seja um homem novo, com uma grande quantidade de novas experiências na bagagem. Não hesite nem se permita dar desculpas. Simplesmente saia e faça. Simplesmente saia e faça. Você ficará muito, muito contente por ter feito.”

Para ver fotos reais de McCandless e o Magic bus entre aqui:
http://www.lakbaylente.com/2011/01/real-christopher-mc-candless-aka.html